Caneleiro

Videos deste animal     (1)

Informações do animal

Nome: Caneleiro
Nome científico: Pachyramphus castaneus

Característica

Mede aproximadamente 14 centímetros. De coloração castanho por cima e coroa mais escura, tem loros escuros e riscos pardos por cima, faixa cinza do olho à nuca, asa canela com filetes pretos. A parte de baixo é de cor canela claro. A garganta e o centro da barriga são brancos.

Alimentação

Come insetos, como besouros, gafanhotos, grilos, mariposas, borboletas, e pequenos frutos. Costuma apanhar insetos em voo.

Alimentação – Come insetos, como besouros, gafanhotos, grilos, mariposas, borboletas, e pequenos frutos. Costuma apanhar insetos em voo.

 

Reprodução – Constrói seu ninho esférico no alto das árvores, utilizando liquens e outras fibras vegetais. A entrada do ninho é voltada para baixo.

 

Hábitos – Habita ambientes florestados, capoeirão, borda de matas e chácaras. Vive no estrato arbóreo. É frequente na Mata Atlântica. Migratório após o período reprodutivo, converge para a Amazônia Meridional durante os meses de estiagem.

 

Observação do autor – Faz seu ninho sempre próximo à casa de marimbondos. É uma estratégia de proteção contra possíveis predadores. 

Reprodução

Constrói seu ninho esférico no alto das árvores, utilizando liquens e outras fibras vegetais. A entrada do ninho é voltada para baixo.

Reprodução – Constrói seu ninho esférico no alto das árvores, utilizando liquens e outras fibras vegetais. A entrada do ninho é voltada para baixo.

 

Hábitos – Habita ambientes florestados, capoeirão, borda de matas e chácaras. Vive no estrato arbóreo. É frequente na Mata Atlântica. Migratório após o período reprodutivo, converge para a Amazônia Meridional durante os meses de estiagem.

 

Observação do autor – Faz seu ninho sempre próximo à casa de marimbondos. É uma estratégia de proteção contra possíveis predadores. 

Hábitos

Habita ambientes florestados, capoeirão, borda de matas e chácaras. Vive no estrato arbóreo. É frequente na Mata Atlântica. Migratório após o período reprodutivo, converge para a Amazônia Meridional durante os meses de estiagem.

Hábitos – Habita ambientes florestados, capoeirão, borda de matas e chácaras. Vive no estrato arbóreo. É frequente na Mata Atlântica. Migratório após o período reprodutivo, converge para a Amazônia Meridional durante os meses de estiagem.

 

Observação do autor – Faz seu ninho sempre próximo à casa de marimbondos. É uma estratégia de proteção contra possíveis predadores. 

Distribuição Geográfica

 

Fotografado na A.P.A. Morro do Gavião, em Camboriú, Outubro/2010

 

Existem registros deste animal nas seguintes cidades:

Sem localização (1)
Itajai (2)
Registro mais recente: Em Brusque - 09/05/2012

Curiosidades

Observação do autor – Faz seu ninho sempre próximo à casa de marimbondos. É uma estratégia de proteção contra possíveis predadores. 

Dados Científicos


Classificação Científica:
 

Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Passeriformes
SubOrdem: Tyranni
Parvordem: Tyrannida
Superfamília: Cotingoidea, Bonaparte, 1849
Família:  Tityridae, Gray, 1840
Subfamília: Tityrinae, Gray, 1840
Espécie: P. castaneus
Nome Científico: Pachyramphus castaneus, (Jardine & Selby, 1827)
Nome em Inglês: Chestnut-crowned Becard

Ocorrências